11 de abril

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
4/06/20 às 18h15 - Atualizado em 4/06/20 às 18h28

Ação conjunta possibilitou solucionar transtornos causados para comunidade

COMPARTILHAR

Após anos de abandono, o prédio localizado na principal avenida de Planaltina, foi totalmente fechado.

 

O que um dia foi o único Hospital particular na Cidade, há mais de 10 anos tem sido alvo de incômodo para os moradores da Planaltina. O local virou abrigo para usuários de drogas e vândalos e vem causando transtornos à população, já que roubos e assassinatos já foram registrados no local.  

O prédio em questão encontra-se em briga judicial entre o antigo e atual dono. Um dos proprietários já foi notificado diversas vezes, porém, nenhuma providência foi tomada.

Para acabar com os transtornos gerados no local, a Administração de Planaltina, junto com a Vigilância Ambiental e o apoio da Polícia Militar, fecharam com tijolos as portas e janelas, assim, o local ficará totalmente desativado e inacessível.

Célio Rodrigues – Administrador Interino da Administração de Planaltina destaca que esse é um problema antigo na Cidade e que nunca foi resolvido. “Recebemos muitas reclamações da comunidade sobre esse prédio abandonado e os transtornos que o espaço causava. Foi então que, ao fazer contato com a vigilância ambiental, identificamos que era possível tomar algumas providências legais para impedir o fluxo de pessoas dentro do prédio.  Decidimos fechar o local com tijolos. Foi então que entramos em contato com empresários da Cidade, que rapidamente nos ajudaram com doações de materiais de construção.  Nossa equipe de obras entrou em ação para executar o serviço, a Vigilância Ambiental fez todo trabalho de inspeção do prédio e a PM fez o acompanhamento e segurança do local e a Novacap fará a poda das árvores localizadas na lateral do prédio”.

A Vigilância Ambiental possui alvará judicial, que permite que agentes de saúde façam intervenção em locais particulares, quando os mesmos se encontram em situação risco à saúde da população.

Edgar Rodrigues – Diretor da Diretoria de Vigilância Ambiental ressalta que o local era usado como abrigo por moradores de rua e usuários de droga. Muito lixo e garrafas, que podem atrair ratos e escorpiões, além da proliferação do Aedes Aegypti. “Esse prédio já foi um hospital e cuidou da saúde de muitas pessoas, mas com o abandono da Edificação, esse prédio passou a causar transtornos para população”, destaca Edgar

 

A comunidade respira aliviada.

 

Maria Cristina, moradora da Cidade, vê com alegria a ação. “Tínhamos medo de passar por aqui, fora o mal cheiro desse local. Agradeço a iniciativa do Governo. É triste ver um prédio abandonado, principalmente na avenida principal da Cidade”, destaca.

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros